Visualizações 8

Todas as almas fazem parte da alma maior. A Anima Mundi, a alma do mundo ou a super alma, como é chamada em algumas escolas iniciáticas.

A origem de todos os reinos manifestados na matéria é uma só. A mesma energia que cria e sustenta os sóis e as galáxias, cria o pequeno cristal que rebrilha na natureza, a humilde erva que brota espontaneamente nos campos, as flores que nos brindam com perfumes e cores – e seus sutis poderes curativos.

A mesma energia que anima o frágil pardal que voa em meio ao caos urbano, também se manifesta no valente leão, que corre garbosamente livre nas savanas africanas. E a mesma força vital que faz pulsar o coração do homem branco, faz pulsar o coração do negro, do oriental, do nativo pele-vermelha, do cristão, do judeu e do mulçumano… É a mesma força que vivifica todos os seres, de todos os reinos, de todas as espécies, de todas as raças…

O Povo Lakota – uma nação pele vermelha da América do Norte – costuma se cumprimentar com a expressão “MITAKUYE OYASIN!”. Esta saudação significa algo assim como: “Somos todos relacionados” ou “Somos todos parentes”. A sabedoria ancestral desse povo nativo deu a eles a consciência de que realmente somos TODOS UM. Que cada ser que existe sobre a terra “é parente”. Cada ser que existe sobre a Terra, é um fio sutil, entrelaçado com outros fios, formando A Grande Teia da Vida. Cada ser é uma nota importante ressoando na Grande Sinfonia do Cosmos. Negar esta verdade é a causa primeira, aquela que permanece no âmago de toda a dor e de todo sofrimento. 

Das guerras coletivas que eclodem por todo o planeta as guerras individuais que dilaceram as almas.
Quando compreendemos que por trás de toda a aparente diversidade existe um principio único e fundamental, o TODO QUE ESTÁ EM TUDO, a nossa percepção se amplia, e passamos então a nos identificar com esse principio único. Então toda a ilusão de separação se desfaz! O sofrimento cessa!

O AMOR QUE CURA….

Em sua jornada aqui na Terra, a alma enfrenta muitos percalços e desafios. E mesmo aqueles que já vem desenvolvendo outros parâmetros de consciência – através da busca espiritual – e que sabem que tais percalços fazem parte da senda evolutiva, acabam muitas vezes caindo nos pântanos sombrios do sofrimento, da dor e da depressão.

Nesses momentos difíceis, vivenciados como a “noite escura da alma”, acabamos permitindo que as sensações reativas nos afastem da nossa Luz Interior.

Nos sentimos apartados do mundo, envoltos em sentimentos dolorosos de abandono e solidão – sem perceber (e muitas vezes sem acreditar) que presenças extrafísicas nos sustentam com suas vibrações silenciosas de amor incondicional.

E é essa sensação de estar “afastado da fonte” – uma das causas principais das doenças emocionais que assolam a humanidade nos dias de hoje.

Dores de alma que acabam refletindo no corpo físico, trazendo o sofrimento para o nível celular – comprometendo o sistema imunológico – e tornando o organismo suscetível a todo tipo de doenças.

Todos esses sintomas sejam físicos ou emocionais, soam como um alerta, nos avisando que a conexão da nossa alma com a sua “origem” de alguma forma foi interrompida, bloqueando o fluxo do amor.

A ligação da nossa alma com a alma do mundo acontece no nível do coração , no Chacra Cardíaco (Anahata, em sânscrito “O inviolado”).

O Chacra Cardíaco – está localizado no peito, próximo ao nosso coração físico. Está relacionado com a glândula Timo – que segundo a própria ciência médica reconhece, desempenha um importante papel na regulação da resposta imunológica do organismo.

À medida que a nossa capacidade de amar incondicionalmente, a nós mesmos e aos outros, se desenvolve, mais esse centro energético se expande.

“O desenvolvimento dos sentimentos de compaixão e empatia pelos outros é um dos primeiros passos no caminho que conduz à abertura do chacra cardíaco e ao desenvolvimento de uma forma mais elevada de consciência” (Dr. Richard Gerber in Medicina Vibracional – Ed. Cultrix)

Quando abrimos o nosso coração – pulsando luz através desse chacra, o amor que nós já somos em essência, passa a se irradiar com mais força em direção a todos os planos da criação, e pelo principio da ressonância, a luz do GRANDE AMOR QUE AMA SEM NOME passa a vibrar em cada célula do nosso corpo – nos envolvendo em ondas curativas, suaves e luminosas.

 

O AMOR QUE CURA

Em sua jornada aqui na Terra, a alma enfrenta muitos percalços e desafios. E mesmo aqueles que já vem desenvolvendo outros parâmetros de consciência – através da busca espiritual – e que sabem que tais percalços fazem parte da senda evolutiva, acabam muitas vezes caindo nos pântanos sombrios do sofrimento, da dor e da depressão.

Nesses momentos difíceis, vivenciados como a “noite escura da alma”, acabamos permitindo que as sensações reativas nos afastem da nossa Luz Interior.

Nos sentimos apartados do mundo, envoltos em sentimentos dolorosos de abandono e solidão – sem perceber (e muitas vezes sem acreditar) que presenças extrafísicas nos sustentam com suas vibrações silenciosas de amor incondicional.

E é essa sensação de estar “afastado da fonte” – uma das causas principais das doenças emocionais que assolam a humanidade nos dias de hoje. Dores de alma que acabam refletindo no corpo físico, trazendo o sofrimento para o nível celular – comprometendo o sistema imunológico – e tornando o organismo suscetível a todo tipo de doenças.

Todos esses sintomas sejam físicos ou emocionais, soam como um alerta, nos avisando que a conexão da nossa alma com a sua “origem” de alguma forma foi interrompida, bloqueando o fluxo do amor.

A ligação da nossa alma com a alma do mundo acontece no nível do coração , no Chacra Cardíaco (Anahata, em sânscrito “O inviolado”).

O Chacra Cardíaco – está localizado no peito, próximo ao nosso coração físico. Está relacionado com a glândula Timo – que segundo a própria ciência médica reconhece, desempenha um importante papel na regulação da resposta imunológica do organismo.

À medida que a nossa capacidade de amar incondicionalmente, a nós mesmos e aos outros, se desenvolve, mais esse centro energético se expande.

“O desenvolvimento dos sentimentos de compaixão e empatia pelos outros é um dos primeiros passos no caminho que conduz à abertura do chacra cardíaco e ao desenvolvimento de uma forma mais elevada de consciência” (Dr. Richard Gerber in Medicina Vibracional – Ed. Cultrix)

Quando abrimos o nosso coração – pulsando luz através desse chacra, o amor que nós já somos em essência, passa a se irradiar com mais força em direção a todos os planos da criação, e pelo principio da ressonância, a luz do GRANDE AMOR QUE AMA SEM NOME passa a vibrar em cada célula do nosso corpo – nos envolvendo em ondas curativas, suaves e luminosas.

É ESSE O AMOR QUE CURA E QUE TRAZ FIM AO SOFRIMENTO!

Irene Carmo Pimenta

NOTAS:

CHACRA – do sânscrito “roda”. O corpo humano contém em si milhares de “pontos de energia”. Existe, contudo, sete centros maiores, onde a energia se concentra, chamados de chacras. São na realidade “vórtices de energia”, Cada um deles tem relação com glândulas ou pontos vitais do corpo físico.

CHACRA CARDÍACO – É o chacra que se localiza no Plexo Cardíaco. A glândula correspondente é o Timo. Rege o nosso sistema imunológico, a respiração e a circulação (sistema cardio-respiratório). É o chacra do amor. O Taoísmo Chinês explica que é no chacra cardíaco que reside o ponto de doação da nossa energia ao mundo. A energia sobe do 1º ao 7º Chacra e desce de volta para o 4º, onde se doa para o mundo e volta para si mesmo. Leia mais sobre Chacras…

Gostou do conteúdo? Compartilhe

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram

Posts Recentes

Copyright 2022® – Oficina de Consciência 

Email: contato@oficinadeconsciencia.com.br